Open top menu
Proibidos de se casar quando jovens, realizam sonho 63 anos depois

Proibidos de se casar quando jovens, realizam sonho 63 anos depois

Proibidos de se casar quando jovens, realizam sonho 63 anos depois

A história de amor desse casal foi interrompida há 63 anos, quando Antônia era adolescente. Ela tinha 16 anos e foi proibida pelo pai de se casar com Olavo, na época com 20 anos.
“O pai dela explicou que ela era muito jovem e que precisaria terminar os estudos. Ela, no auge da adolescência, respondeu ao pai: “se eu não me casar com ele, não caso com mais ninguém”, contou a sobrinha de Antonia, Isabel Brandão, em entrevista ao Só Notícia Boa.
Dito e feito. Antonia Mineiro e seu Olavo se separaram, não se falaram mais e ela nunca se casou. Chegou a ter um outro namorado, mas o rapaz morreu.
Depois disso, ela saiu do Ceará, morou em São Paulo, Amazonas e no Maranhão. Já Olavo se casou, mas não deu certo. Acabou se divorciando.
As voltas da vida
Em março de 2020, Olavo pediu o contato de Antonia para uma amiga em comum. E justamente no período em que surgia a pandemia, a história de amor deles recomeçava.
Olavo ligou para Antônia, os dois passaram alguns meses se falando por telefone e ele fez o pedido: “Vamos continuar de onde paramos?”, disse para a ex-namorada.
“Ela disse sim!!!”, contou a sobrinha.
Em setembro de 2020 Antonia viajou acompanhada por um familiar – e com os devidos cuidados – para sua terra natal, o Ceará, para rever seu amor da juventude.
O reencontro emocionante foi no aeroporto de Fortaleza: ela com 80 anos e ele agora com 84. E foi tão forte que uma semana depois os idosos se casaram.
O casamento
“Devido à pandemia eles fizeram uma minicerimônia simbólica”, contou Isabel.
E há 6 meses dona Antonia e seu Olavo vivem o sonho de serem marido e mulher.
Lúcidos e apaixonados, eles moram em um sítio tranquilo no interior do Ceará.
Amor aos 80 anos
O casal sabe que não tem como recuperar o tempo perdido, por isso Antonia e Olavo não se desgrudam e aproveitam cada minuto da oportunidade que estão tendo de finalmente serem felizes.
E como é o amor aos 80 anos?
“Eles dizem que se tornam mais tolerantes, que não se incomodam por pouco. [Eles conversam] relembram coisas da juventude, passeiam, tomam banho de açude, cuidam da horta e estão decorando a casa nova”, disse a sobrinha, toda feliz pela felicidade da tia.
Por Rinaldo de Oliveira, da redação do Só Notícia Boa
Foto: arquivo pessoal

<