Open top menu
Ministro interino da Saúde omite gravidade da crise no Brasil em discurso na ONU

Ministro interino da Saúde omite gravidade da crise no Brasil em discurso na ONU

Ministro interino da Saúde omite gravidade da crise no Brasil em discurso na ONU

Em reunião online, General Pazuello afirmou que “o governo federal acessa diariamente a situação dos riscos e apoia cidades e estados com os recursos necessários para reduzir os efeitos da pandemia”

Em pronunciamento online na Assembleia Mundial da Saúde da OMS, o ministro interino da Saúde brasileiro, general Eduardo Pazuello, disse que há diálogo entre os três níveis de governo, auxílio às regiões Norte e Nordeste do país e ajuste de protocolos do Ministério da Saúde “baseado em evidências”, sem falar sobre a intenção da pasta de ampliar o uso da cloroquina.

Na Assembleia, os países tiveram dois minutos para expor estratégias de combate ao coronavírus. O Brasil, conforme disse na semana passada o secretário substituto de vigilância em saúde do Ministério da Saúde, Eduardo Macário, está em uma “situação de alerta” e um “momento de crescimento de casos”, sendo o quarto país com mais casos no fim de semana ao ultrapassar Itália e Espanha.

Pazuello disse que “o governo federal acessa diariamente a situação dos riscos e apoia cidades e estados com os recursos necessários para reduzir os efeitos da pandemia”.

Na região Norte, citada por Pazuello no discurso, só Manaus tem serviço de UTI. A rede estadual entrou em colapso em Abril e opera com 82% da capacidade. No país todos faltam EPIs (equipamentos de proteção individual) e testes para aplicação em massa. Estudos apontam que o sistema de saúde deve colapsar mesmo em estimativas otimistas.(Fórum)

Foto: Divulgação

<