Open top menu
Ministério do Meio Ambiente tenta reduzir meta de preservação da Amazônia

Ministério do Meio Ambiente tenta reduzir meta de preservação da Amazônia

Ministério do Meio Ambiente tenta reduzir meta de preservação da Amazônia

Governo quer se livrar da obrigação de reduzir em 90% de desmatamentos e incêndios ilegais em todos os biomas do país

O Ministério do Meio Ambiente pediu, em ofício enviado ao Ministério da Economia, a redução da meta oficial de preservação da Amazônia. A informação foi publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo nesta terça-feira (4).

A solicitação foi para que o governo seja liberado de reduzir 90% do desmatamento e incêndios ilegais em todos os biomas brasileiros até 2023, conforme define o Plano Plurianual (PPA), aprovado pelo Congresso em 2019.

Sem citar os outros biomas, o ministério pede que a nova meta seja proteger 390 mil hectares na floresta amazônica. A área sugerida representa cerca de um terço da área que foi desmatada na floresta entre agosto de 2018 e julho de 2019, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

A justificativa, assinada pelo secretário-executivo da pasta, Luís Biagioni, é de que o governo não conseguiria atingir a meta do PPA, já que ainda é preciso firmar parcerias entre órgãos de governos estaduais e do governo federal.

“Considerando todo o contexto que abarcou também a elaboração do Planejamento Estratégico do MMA verificou-se que a meta disposta no PPA 2020/2023 não poderia ser alcançada, no período proposto, dada a necessidade de implementação de todos os eixos do novo Plano, em especial, em razão da demanda da participação de tantos outros envolvidos no âmbito federal e estadual”, argumentou o ministério na nota.

A exclusão de outros biomas da meta foi colocada na conta da falta de dados disponíveis. “Cabe ressaltar que até o presente momento não existem indicadores disponíveis para mensurar o atingimento da meta mencionada acima, isto é, os dados anuais e oficiais de monitoramento do desmatamento existem somente para os biomas Amazônia e Cerrado. Não obstante, a qualificação do desmatamento entre ilegal e legal, todavia não encontra-se disponível”, complementou a pasta.

Segundo o Estado de S. Paulo, o Ministério da Economia rejeitou a proposta do Meio Ambiente de redução da meta prevista no PPA. Oficialmente, o Ministério do Meio Ambiente também afirma que a meta está mantida.(Brasil de Fato)

Foto: Vinícius Mendonça/Ibama

<