Open top menu
Líder ruralista critica Onyx após ter aliado preterido em ministério: “Já vi pavão virar espanador”

Líder ruralista critica Onyx após ter aliado preterido em ministério: “Já vi pavão virar espanador”

O presidente da União Democrática Ruralista (UDR), Luiz Antônio Nabhan Garcia, entrou em rota de colisão com o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Em entrevista ao site da revista Piauí, Nabhan criticou o comportamento de Onyx nas negociações para a definição do novo ministro da Agricultura. Preterido para assumir a pasta, o ruralista indicou o deputado Jerônimo Goergen (PP-RS) para o cargo. Mas a indicação foi vetada pelo homem forte do presidente eleito Jair Bolsonaro. “Não cabe ao ministro da Casa Civil fazer ou barrar indicações. Isso é prerrogativa do presidente da República”, disse à repórter Consuelo Dieguez. “O Lorenzoni extrapolou de suas funções”, completou.

Nabhan negou que tenha reivindicado para si o ministério, embora esteja alinhado com Bolsonaro desde o início da campanha eleitoral. “A prerrogativa é do presidente da República. Não autorizo ninguém a falar em meu nome. Pergunte ao Bolsonaro se alguma vez eu fiz algum pedido neste sentido”, afirmou.

O ruralista confirmou, assim, as críticas feitas em um grupo de WhatsApp a Onyx, a quem chamou de “pavão”. “Já vi pavão virar espanador”, ironizou. O presidente da UDR também classificou a conduta do futuro ministro da Casa Civil de “deselegante”e “inapropriada”.

“Minha ponderação e recusa em entrar em confronto com alguém que está simplesmente avançando em terreno alheio e nem tampouco de sua competência e compromisso com nossa classe produtora rural, como o que fez o deputado Onyx Lorenzoni quando veio de forma deselegante e inapropriada à sua pessoa e cargo que assumirá apenas a partir de primeiro de janeiro, se é que assumirá mesmo, vir afirmar que o deputado Jerônimo Goergen não será o ministro da Agricultura, nome da indicação efetiva da base produtora de todo o Brasil, conforme compromisso público e explícito do nosso presidente agora eleito”, diz trecho da mensagem enviada por ele a um grupo de ruralistas.(Congresso em Foco)