Open top menu
Inflação de agosto fica em 0,11% influenciada por queda nos alimentos

Inflação de agosto fica em 0,11% influenciada por queda nos alimentos

Inflação de agosto fica em 0,11% influenciada por queda nos alimentos

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou agosto com alta de 0,11%, ante um avanço de 0,19% em julho, informou nesta sexta-feira, 6, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado ficou levemente acima da mediana das estimativas (+0,10%), calculada pelo Projeções Broadcast a partir do intervalo, que ia de 0,07% a 0,24%.

A taxa acumulada pela inflação no ano foi de 2,54%, segundo o IBGE. O IPCA em 12 meses ficou em 3,43%, dentro das projeções dos analistas, que iam de 3,39% a 3,52%, com mediana de 3,42%.

O comportamento geral dos preços no mês foi influenciado, principalmente, pela deflação nos grupos Alimentação e bebidas (-0,35%) e Transportes (-0,39%), segundo o IBGE.

O instituto ressaltou que a redução nos preços de alguns dos principais alimentos consumidos no dia a dia dos brasileiros aconteceu por questão de aumento de oferta nos pontos de venda.

Foi o que ocorreu, por exemplo, com o tomate (-24,49%), a batata inglesa (-9,11%) e as hortaliças e verduras (-6,53%).

Já o grupo Habitação, principal impacto positivo no IPCA, teve alta de 1,19% no período e pressionou a inflação para cima. O maior vilão desse grupo foi energia elétrica, que registrou aumento de 3,85% em agosto.

A alta ocorreu, segundo o IBGE, em razão da entrada em vigor da bandeira tarifária vermelha patamar 1, em agosto, que acrescenta às contas de luz uma cobrança de R$ 4,00 a cada 100 quilowatts-hora consumidos. (Exame)

Foto:Paulo Whitaker/Reuters

<