Open top menu
Facebook e Twitter excluem postagens de Trump com ‘desinformação nociva sobre covid-19’

Facebook e Twitter excluem postagens de Trump com ‘desinformação nociva sobre covid-19’

Facebook e Twitter excluem postagens de Trump com ‘desinformação nociva sobre covid-19’

Contas no Facebook e Twitter do presidente dos Estados Unidos Donald Trump foram penalizadas por postar um vídeo no qual ele afirmava que as crianças são “quase imunes” ao coronavírus — o que é rejeitado oficialmente pelas próprias autoridades de saúde do país, segundo as quais crianças não têm imunidade à nova doença.

O Facebook excluiu um post, que continha um trecho de entrevista que ele deu ao canal de TV Fox News, argumentando que o conteúdo reproduzia “desinformação nociva sobre a covid”.

Um porta-voz do Facebook disse na noite de quarta-feira (5): “Este vídeo inclui falsas alegações de que um grupo de pessoas está imune à covid-19, o que é uma violação de nossas políticas sobre desinformação nociva sobre a covid”.

Foi a primeira vez que a empresa tomou medidas para remover o conteúdo postado pelo presidente americano com base em sua política de desinformação sobre coronavírus, mas não a primeira em que penalizou Trump por conteúdos em sua página.

Em junho, o Facebook anunciou que havia removido anúncios da campanha eleitoral de Trump que apresentavam um símbolo usado na Alemanha nazista — um triângulo vermelho invertido, usado no passado para rotular adversários como comunistas.

Na época, a equipe de Trump disse que o símbolo era uma referência aos grupos denominados antifascistas, que também o utilizam.

Nesta quarta-feira (5), o Twitter declarou também ter congelado a conta de campanha @TeamTrump pela publicação do mesmo trecho da entrevista.

“O proprietário da conta precisará remover o tuíte antes que ele consiga tuitar novamente.”

Mais tarde, de fato o post parecia ter sido excluído

No mês passado, o Twitter suspendeu temporariamente a conta de Donald Jr., filho do presidente, por compartilhar conteúdo que promovia “desinformação” sobre coronavírus e hidroxicloroquina.

Em março, porém, o Twitter avaliou que um post do empresário Elon Musk, sugerindo que as crianças eram “basicamente imunes” ao coronavírus, não havia infringido suas regras.

O que Trump disse na TV?

O trecho polêmico teve origem em uma entrevista por telefone de Trump ao programa Fox and Friends nesta quarta-feira, em que o presidente americano defendeu a reabertura das escolas.

“Se você olhar para crianças, elas estão quase — e eu quase diria definitivamente — imunes a essa doença.”

“Elas têm sistemas imunológicos muito mais fortes do que nós, de alguma maneira, para isso (a doença).”

O presidente também afirmou que o coronavírus “está indo embora”.

Quão perigoso é o coronavírus para crianças?

As crianças podem pegar e transmitir o vírus, mas correm um risco extremamente baixo de adoecer.

Os adultos — e principalmente os idosos — têm muito mais probabilidade de ficar gravemente doentes e morrer de complicações.

O maior estudo realizado até o momento, envolvendo mais de 55.000 pacientes internados em hospitais, constatou que apenas 0,8% tinha menos de 19 anos.

Um estudo americano recente, envolvendo casos de 7.780 crianças com covid-19 em 26 países, descobriu que quase um em cada cinco pacientes não apresentava sintomas. Cerca de 3,3% foram admitidas em unidades de terapia intensiva (UTIs) e sete mortes foram relatadas, de acordo com a pesquisa da Universidade do Texas em San Antonio.

Um estudo da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres também mostrou que pessoas com mais de 20 anos eram duas vezes mais suscetíveis à infecção por coronavírus do que aquelas com menos de 20.

No entanto, é sabido também que há casos extremamente raros de crianças desenvolvendo uma síndrome inflamatória semelhante à doença de Kawasaki, e os cientistas estão enxergando isto como uma possível resposta imune tardia ao coronavírus.(BBC News Brasil)

FOX NEWS

<