Open top menu
COPASA PARALISA CAPTAÇÃO DE ÁGUA MINERAL NO BARREIRO

Avaliação da notícia

(10 Votos)

COPASA PARALISA CAPTAÇÃO DE ÁGUA MINERAL NO BARREIRO

O fato foi constatado durante a visita de um perito do judiciário em Araxá, no inicio da última semana para melhor avaliar as denúncias de contaminação das águas do barreiro, e em outros locais do município.
Na ocasião,o perito esteve na engarrafadora da água mineral de Araxá, entretanto, somente agora fomos informados por uma pessoa que presenciou a visita, e que preferiu não se identificar.
Segundo ela no local havia apenas duas funcionárias que não souberam informar o motivo da não utilização dos poços, mas que a água continua sendo produzida, porem está sendo capitada em outro local fora do barreiro, disseram ainda não ter conhecimento da nova fonte.

No depósito da empresa foram encontrados apenas dois lotes do produto, produzidos em setembro.
O vice presidente da CODEMIG empresa proprietária dos poços Antônio Leonardo Lemos Oliveira disse que até o momento a CODEMIG não foi informada sobre o fato e garantiu que a capacidade de produção de água dos poços é de no mínimo 20 anos.

DÚVIDAS

O fato da Copasa não ter informado a população sobre o porque da  mudança, e nem a localização da nova fonte causou estranheza e reforça as denúncias de contaminação das águas, conforme tem sido denunciado e investigada pelo Ministério Publico.
Já que estudos comprovam que existem vários pontos de contaminação, inclusive por Urânio e outros elementos cancerígenos que podem causar também vários outros tipos de doenças, conforme relatos de especialistas, através de laudos técnicos e depoimentos já encaminhados ao Ministério Publico.

NOVAS REVELAÇÕES

Na próxima reportagem traremos mais informações sobre o caso e as declarações de uma das responsáveis pelos estudo técnicos, que garante que os altos índices de contaminação estão presentes também em vários outros pontos do município.

5 comentários

  1. Avatar
    21 dezembro, 2013

    SÉRGIO: ESTA SITUAÇÃO SOBRE AS NASCENTES D’ÁGUA, PRINCIPALMENTE NA REGIÃO DO BARREIRO, CBMM E VALE É DE NOTÓRIO CONHECIMENTO HÁ MUITOS ANOS., NINGUÉM FALA NADA PORQUE NÃO INTERESSA A PERCA DOS RELACIONAMENTOS COMERCIAIS, DA PARENTAGEM E AFETIVOS. ARAXÁ NÃO TEM MAIS RETORNO. É COMO SEMPRE REPITO AO NOSSO CONTERRÂNEO ANTONIO GILBERTO: UM MAL NECESSÁRIO PORQUE NÃO TEM COMO VOLTAR A SER O QUE ÉRAMOS. TEMOS A MADRASTA QUE DÁ O LEITE, MAS DEVIDAMENTE CONTAMINADO PELA AMBIÇÃO À QUALQUER CUSTO. É IDA SEM VOLTA. UM DIA ARAXÁ SERÁ UMA CIDADE FANTASMA COMO TANTAS OUTRAS QUE JÁ EXISTEM NO MUNDO. E NÃO ESPERE MUITO DO EX-TONINHO LEMOS, UM POBRE NOVO RICO, OPORTUNISTA E DISSIMUADO. O TEMPO TAMBÉM VAI PROVAR QUEM ELE É,,, http://www.realidadenojornalismo.blogspot.com.br/2013/12/mais-uma-das-verdades-sobre-quem-e.html

    Responder

  2. Avatar
    02 janeiro, 2014

    Esse senhor deveria pesquisar mais a fundo, antes de publicar uma matéria, parece até texto de revista fofoca, só faltou o “…eu ouvi dizer…”

    Onde está a fundamentação do texto como o nome do perito judicial, e se existe perito judicial existe também ação judicial, qual o número desta ação? Quem foi o denunciante?

    Se já existem estudos que comprovam a contaminação da água onde está eles? Que metodologia foi feita? Onde foi feita a captação destas amostras? Existiu contra prova destes estudos? Parece até cabeça de bacalhau, que sabemos que existe mas ninguém nunca viu!

    O mais importante: Quais são os contaminantes versus o índice aceitável da OMS?

    O texto é tão alarmista que cita o urânio como contaminante, mas o autor sem pesquisar a fundo ignora completamente que o urânio é um dos metais mais comuns encontrados na natureza e de existem vários índices de radiação e nem todos são perigosos para a saúde, somos expostos diariamente a doses de radiação e nem por isso vamos morrer!

    Eu fiquei com a péssima impressão de que o único objetivo deste texto foi criar polêmica gratuita!

    Responder

    • Avatar
      03 janeiro, 2014

      Caro internauta, em primeiro lugar gostaria de agradecer pelos seus comentários e críticas relacionadas à nossa reportagem. Entretanto, gostaria de esclarecer que não trabalho com possibilidades e sim, com fatos. Fatos estes documentados e embasados na verdade e no conhecimento de especialistas e de informações que estão nas mãos do Ministério Público. Quanto a sua postura quero crer que com certeza você está defendendo os seus próprios interesses ou não conhece a verdadeira realidade e gravidade do assunto que estamos abordando e que vamos acompanhar até o seu desfecho final, sempre pautado na ética ,doa a quem doer.
      Quanto ao resto, peço que veja a nova reportagem e depois reflita e diga a si mesmo de quem é a razão. De nossa parte, agradecemos mais uma vez a sua participação, porque para nós as críticas são mais bem vindas que elogios, mesmo sendo críticas que não condizem com a moral, a ética e os bons costumes. Pelo contrário, demonstram que você tem seus próprios interesses que com certeza não são os nossos.

      Responder

      • Avatar
        14 janeiro, 2014

        Desculpe-me caro Sergio Rocha, mas não entendi a sua réplica. Acho que o senhor não entendeu a crítica do nosso colega Cleiton Rezende. Ele não quis desmoralizar o seu texto, mas sim dizer que para que um texto, da importância do assunto, deveria possuir algumas referências e comparações para que seja comprovada a veracidade, como em um texto histórico ou científico comumente trabalhado nos setores acadêmica. Sem essas referências (como por exemplo o número do processo judicial em trâmite) o texto não ganha respaldo pois passa a ser apenas “fofoca” como disse nosso colega, que na verdade (acredito eu) quis dizer que parece uma história ouvida de um amigo num conversa informal. Li alguns textos seus aqui neste canal e quero acreditar (pois me parecem) que são verdadeiros. Mas neste texto específico o senhor foi displicente nos pontos citados (muito bem por sinal) por nosso colega. Nem todos tem condição temporal, intelectual ou de discernimento para poder buscar essas comprovações e você como jornalista deve nos agraciar com esses pequenos, mas importantes detalhes para que seja comprovada a autenticidade e para facilitar nosso processo crítico para o posicionamento sobre o assunto. Assim é feito um jornalismo imparcial e ético. Estarei acompanhando seu blog e espero poder ler, num futuro próximo, mais detalhes sobre o assunto. No mais ti desejo sucesso e muito trabalho na busca dessas informações. Um abraço.

        Responder

  3. Avatar
    03 janeiro, 2014

    Eu conheço ex-moradores do Barreiro que hoje estão sofrendo as consequências do consumo daquela água….

    Responder

<