Open top menu
Comissão Interamericana de Direitos Humanos protesta contra vigilância ilegal da oposição por Bolsonaro

Comissão Interamericana de Direitos Humanos protesta contra vigilância ilegal da oposição por Bolsonaro

Comissão Interamericana de Direitos Humanos protesta contra vigilância ilegal da oposição por Bolsonaro

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (CIDH/OEA) criticou duramente a investigação e elaboração de dossiês contra opositores do governo Jair Bolsonaro por parte do Ministério da Justiça. Por meio de nota, a comissão ressaltou ser necessário que o Brasil “ siga respeitando o direito à liberdade de expressão de servidores públicos e acadêmicos; além de revisar essas denúncias e investigar se houve vigilância ilegal pelas agências de inteligência do Estado”.

O dossiê, com 579 nomes de servidores federais e estaduais de segurança identificados como integrantes do “movimento antifascismo” e professores universitários, foi elaborado pela Secretaria de Operações Integradas (Seopi), subordinada ao ministro da Justiça, André Mendonça.

De acordo com reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, o órgão da OEA ressaltou estar preocupado com o monitoramento de Paulo Sergio Pinheiro, que foi relator da Infância da CIDH entre os anos de 2004 e 2011 e ex-secretário de Direitos Humanos.

Neste domingo (26), a Rede Sustentabilidade pediu que o Supremo Tribunal Federal (STF) determine a abertura de um inquérito junto à Polícia Federal para investigar o dossiê elaborado pelo Ministério da Justiça.

“O que se vê é um aparelhamento estatal em prol de perseguições políticas e ideológicas a partir de uma bússola cujo norte é o governante de plantão: quem dele discorda merece ser secretamente investigado e ter sua imagem exposta em dossiês ‘da vergonha’ perante suas instituições laborais”, ressaltou a Rede. (247)

(Foto: Reprodução | REUTERS/Ueslei Marcelino)

<