Open top menu
Camelô tenta devolver R$ 100 a cliente: “Me ensinaram a ser honesto”

Camelô tenta devolver R$ 100 a cliente: “Me ensinaram a ser honesto”

Camelô tenta devolver R$ 100 a cliente: “Me ensinaram a ser honesto”

Jovem de 27 anos recebeu R$ 100 por um pacote de balas que custava R$ 2. Agora, ele procura pela cliente nas redes sociais

O camelô Phellipe Guimarães, 27 anos, recebeu R$ 100 por um pacote de balas de café e de coco que custavam, na verdade, R$ 2. A diferença passou despercebida na ocasião e o jovem acredita que a cliente acabou se confundindo ao entregar a nota. Contudo a história não terminou assim, com um lucrando e o outro no prejuízo. Phellipe decidiu ir às redes sociais para encontrar a mulher e fazer justiça.

“Uma senhora pediu dois doces e me entregou a nota dobrada, que, por ser azul, parecia ser de R$ 2. Eu joguei dentro da bolsa. Quando fui contar o dinheiro, percebi que na verdade ela era de R$ 100. Desde então, tento localizar essa senhora para devolver”, descreve a situação Phellipe, que estava dentro de um coletivo em Vila Valqueire, zona norte do Rio de Janeiro.

Segundo o vendedor, o erro foi um sinal de Deus naquele momento. Dois dias antes, na última segunda-feira (08/07/2019), Phellipe foi assaltado na rua onde mora. Os criminosos levaram o celular e R$ 420 que usaria pagar a mensalidade da escola particular do filho. Assim, com os R$ 100, ele conseguiu se safar de um momento de urgência.

“O meu pai me ensinou a ser honesto em todos os momentos e ocasiões da minha vida. Sempre tive valores do bem. Já recebi troco errado outras vezes e devolvi. É uma atitude que deveria ser considerada normal, de todos. Acho que falta empatia às pessoas”, explica o jovem, que é casado com Emanuelle Guimarães.

Por fim, o camelô detalha a aparência da cliente que entregou uma nota de R$ 100 ao invés da quantia correta, de apenas R$ 2. Ela estava dentro de um coletivo da linha 383 (Tiradentes – Realengo) em direção ao “centro da cidade”. “Uma senhora de cabelo ruivo, uma tatuagem de borboleta na mão, de cor branca, de bolsa de onça. Queria muito encontrá-la para devolver esse seu dinheiro, então conto com ajuda de vocês”, destaca.(Metrópoles)

FOTO: REDES SOCIAIS/ REPRODUÇÃO

Deixe seu comentário