Open top menu
Bolsonaro: “Cada ninho de rato que toco fogo, mais inimigos coleciono”

Bolsonaro: “Cada ninho de rato que toco fogo, mais inimigos coleciono”

Bolsonaro: “Cada ninho de rato que toco fogo, mais inimigos coleciono”

Presidente fez um post nas redes sociais para criticar sucateamento da frota de aviões da Fundação Nacional do Índio (Funai)

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) comentou, nesta segunda-feira (08/07/2019), os problemas identificados na Fundação Nacional do Índio (Funai). Para o chefe do Executivo, as nove aeronaves encontradas sucateadas, que deveriam garantir atendimento médico para a população indígena, mostram que o órgão cuidava de tudo, “menos do índio”.

“A FUNAI, como regra, ‘cuidava’ de tudo, menos do índio. Cada ninho de ratos que toco fogo, mais inimigos coleciono. Acredito no Brasil porque confio em você, cidadão de bem”, escreveu o mandatário da República no Twitter. O presidente também publicou um vídeo de um minuto em que explica o caso ao lado da ministra da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

“Imagine que essa medalha [da Copa América] valha R$ 1 mil”, diz Bolsonaro, ao aproximar o objeto da tela. “Que tal você guardá-la para mim, cobrando um aluguel de R$ 700 mil por ano, pagos com dinheiro público. É um bom negócio para nós dois ou não é?”, questionou o titular do Palácio do Planalto.

Das aeronaves sob a responsabilidade da Funai, três estão em estado irrecuperável, uma acidentada e o restante inoperante, conforme levantamento feito pelo próprio órgão. O documento alerta para a situação de descaso e abandono da frota, com risco até de incêndio no caso das que estão estacionadas em gramado no aeroporto internacional de Brasília.

De acordo com o presidente da Funai, Fernando Melo, só o aluguel atrasado com o estacionamento das aeronaves em Brasília já chega a R$ 3 milhões — o triplo do valor estimado com o leilão de aviões nas próximas semanas (R$ 1 milhão).

“Isto aqui é um descaso que deixaram para a Funai e o retrato da vergonha que era o órgão no passado. Vou ter de pagar, aqui de aluguel, milhões”, comenta Damares Alves no vídeo. “Tem gente morrendo por falta de assistência médica e essa aeronave poderia estar lá no Ministério da Saúde com a saúde indígena e está aqui, abandonada desde 2012”.(Metrópoles)

Foto: MARCOS CORRÊA/PR

Deixe seu comentário