Open top menu
Apoiadores do decreto de armas de Bolsonaro estão chamando Senado de ‘vergonha do Brasil’

Apoiadores do decreto de armas de Bolsonaro estão chamando Senado de ‘vergonha do Brasil’

Apoiadores do decreto de armas de Bolsonaro estão chamando Senado de ‘vergonha do Brasil’

Na última terça-feira (18), o Senado rejeitou o decreto de armas de Bolsonaro com uma diferença de votos gritante. Os apoiadores do decreto que flexibiliza posse e porte de armas estão sentindo a derrota ao ponto de chamar o Senado de “vergonha do Brasil”.

O Senado votou pela derrubada do decreto de armas de Bolsonaro na terça-feira (18). Foram 47 votos contra o decreto e apenas 28 a favor. Muita gente recebeu a notícia com alívio por acreditar que armas não solucionam violência alarmante brasileira. Por sua vez, os apoiadores do decreto de armas de Bolsonaro fecharam os braços para a decisão do Senado, justificando ainda que a posse e o porte de armas são imprescindíveis para paz.

Há dias os apoiadores da iniciativa, que permite que jornalistas, caminhoneiros e outras categorias profissionais andem armados, sem contar na permissão de porte de armas em voos pelo Brasil, estavam tentando mobilizar o máximo de pessoas possível para aprovação do decreto, o que não causou efeito no Senado.

Depois de criarem a hashtag #ArmasPelaPaz, em uma tentativa de mostrar que sem armas não há como atingir paz, os apoiadores da causa decidiram mostrar todo o descontentamento com a decisão tomada pelo Senado, que adiciona mais uma derrota para o Planalto.

A hashtag #SenadoVergonhaDoBrasil surgiu após a rejeição dos senadores e já contava com mais de 67 mil tweets até a publicação desta matéria.

Internauta acredita que senadores continuam “com seguranças armados até os dentes”, enquanto o povo fica sem arma.

Muitos internautas estão divulgando a lista dos senadores que votaram contra e dos que votaram a favor, como forma de ridicularizar os que votaram contra a iniciativa de Bolsonaro.

A hashtag está chamando atenção também dos brasileiros que não querem a aprovação do decreto.

O próximo passo do decreto é ser tramitado em comissão e no plenário da Câmara. Até que o decreto seja analisado pelos deputados, a iniciativa de Bolsonaro a favor das armas segue valendo.(Sputnik Brasil)

Foto: AFP 2019 / Sérgio Lima

<