Open top menu
Adobe desativa usuários da Venezuela após determinação de Trump

Adobe desativa usuários da Venezuela após determinação de Trump

Adobe desativa usuários da Venezuela após determinação de Trump

Governo dos EUA emitiu ordem executiva que impede qualquer atividade de comércio com o país da América do Sul
A Adobe está encerrando oficialmente o serviço de seus produtos para usuários na Venezuela. A medida busca cumprir uma ordem do governo norte-americano, emitida em agosto, que proíbe o comércio com o país latino-americano. A empresa enviou um e-mail a clientes venezuelanos, informando a desativação de suas contas.

Em documento de suporte a usuários, a Adobe explica a decisão: “O governo dos EUA emitiu a Ordem Executiva 13884, cujo efeito prático é proibir quase todas as transações e serviços entre empresas, entidades e indivíduos dos EUA na Venezuela. Para permanecer em conformidade com esse pedido, a Adobe está desativando todas as contas na Venezuela.”

Os venezuelanos terão até o dia 28 de outubro para baixar qualquer conteúdo armazenado em suas contas e perderão o acesso no dia seguinte. Para piorar a situação, eles não poderão receber reembolsos por compras ou assinaturas pendentes, uma vez que é exigida “a interrupção de todas as atividades com as entidades, incluindo vendas, serviços, suporte, reembolsos, créditos, etc.”

Procurado pelo portal The Verge, um porta-voz da Adobe afirmou: “A Adobe está atualmente avaliando nossas parcerias e acordos existentes com indivíduos e organizações sujeitas à regra para garantir que continuemos em conformidade. A Adobe continuará as atividades de suporte ao cliente não atingidas pela Ordem Executiva, mas interromperá todas as atividades que não forem permitidas.”

Como se vê neste tweet de uma designer venezuelana, essa notícia é desastrosa para qualquer um que utiliza os softwares da Adobe, como o Photoshop, Illustrator, InDesign e Reader, como seu meio de trabalho. A proibição também afetará todos os serviços gratuitos, como o Behance, o site de portfólio da Adobe, que requer uma conta da Creative Cloud.

O porta-voz ainda garante que a Adobe continuará acompanhando o desenrolar das sanções dos EUA, mas, até então, as contas permanecerão desativadas: “Lamentamos qualquer inconveniente que isso possa causar aos clientes, pois continuamos monitorando e avaliando cuidadosamente a situação. Compartilharemos mais detalhes sobre como nossas operações podem ser afetadas, à medida que estes detalhes estiverem disponíveis.” (Olhar Digital / The Verge)

Foto:

<