Open top menu
SOB ANÁLISE – RICARDO BORGES. E ENTÃO? COMO SURGIU O UNIVERSO?

Avaliação da notícia

(0 Votos)

SOB ANÁLISE – RICARDO BORGES. E ENTÃO? COMO SURGIU O UNIVERSO?

A pergunta mais inquietante da humanidade e que talvez esteja a anos-luz de encontrar uma resposta é: “Quando e como nasceu o universo?”

É sabido que nos dias atuais, as teorias para tentar explicar o surgimento do universo e posteriormente da vida, se fundamentam basicamente na divindade e na ciência. Essas duas correntes atraem para si, conforme a doutrina dominante, as filosofias do fundamentalismo e do humanismo.

O fundamentalista crê em seus dogmas como verdade absoluta, irrefutável, sem permitir, portanto, opiniões diversas. Conclui-se, assim, que o fundamentalismo é a filosofia pela qual seus seguidores buscam incessantemente, e de modo irreversível, a afirmação de seus conceitos, baseados exclusivamente nos princípios fundamentais da religião.

Comumente os fundamentalistas invocam textos codificados como a bíblia e o alcorão, por exemplo, para exercitar sua cultura religiosa e, consequentemente, acreditar na teoria da intervenção do poder divino para a criação do universo, da vida, e de toda a matéria.

Dentre as diversas culturas religiosas existentes, os fundamentalistas também não convergem para uma única teoria, no fito de estabelecer o conceito ideal para definir a origem. Vejamos alguns exemplos.

Teoria cristã: a criação do céu e da Terra é atribuída a Deus único e onipotente, que realizou sua obra em seis dias e descansou no sétimo.

Teoria islâmica: acredita na origem do universo também pela criação divina, porém, Deus (Allah) revelou os ensinamentos ao profeta Maomé, através do arcanjo Gabriel, originando o alcorão.

Ressalta-se, entretanto, que diferentemente do cristianismo, segundo o qual Jesus é o filho de Deus e veio à Terra para salvar a humanidade, no islamismo, Maomé assume uma posição de destaque, sendo o receptor da palavra divina.

Os humanistas, por sua vez, são adeptos da filosofia que afirmam a dignidade do ser humano, recusando teorias religiosas e invocações divinas para as explicações de determinados fenômenos. Por sua natureza, são seguidores normalmente da ciência. Aquilo que a ciência ainda não revelou, continua sendo um mistério, até que ela o revele. Em outras palavras, os humanistas cultuam a razão.

A teoria científica para explicar o surgimento do universo é a proposta do Big Bang (grande explosão) ou “hipótese do átomo primordial” que seu autor, Georges-Henri Édouard Lemaître (1894-1966) próprio a denominou.

Georges Lemaître, fundamentado na teoria da relatividade de Albert Estein, afirmou em 1927 que o universo está em constante expansão, baseando-se na proporcionalidade entre distância e velocidade quando verificou o afastamento das galáxias.

A teoria de Lemaître – tida como padrão pela comunidade científica – propõe que todo o universo (matéria e espaço) estava comprimido num único átomo chamado de “primordial” ou “ovo cósmico” de densidade e temperatura extremamente elevada. O astrônomo e físico sustentava que a matéria comprimida se partiu numa quantidade incalculável de fragmentos, que posteriormente se romperam, originando outros ainda menores, até chegar aos átomos atuais.

O curioso é que Georges Lemaître, de nacionalidade belga, além de um estudioso da astrofísica, foi padre. Sua teoria científica contrariou toda a fundamentação teleológica propagada pela própria igreja católica, insculpida na bíblia, para explanar a criação do universo.

Recentemente, em 14 de março de 2013, foi confirmada, ainda que provisoriamente, a teoria do físico britânico Peter Higgs, denominada Bóson de Higgs, para explicar a origem da partícula elementar que resultou outras partículas, após o evento Big Bang.

Meio à complexidade científica e aos mistérios da crença religiosa, a certeza absoluta sobre a origem do universo ainda é tema polêmico e muito controverso sob os conceitos dos fundamentalistas e humanistas.

E então? Como surgiu o universo?

Sobre o autor: Ricardo Borges é advogado especialista em gestão pública.

 

6 comentários

  1. Avatar
    14 outubro, 2013

    Boa noite Ricardo ,

    Excelente texto este que voce publicou .
    Agora esta sua pergunta como surgiu o universo eu so posso lhe dizer ,que quanto mais e dado ao homen penetrar nesses misterios ,mais cresce sua admiraçao pelo poder e sabedoria do criador, mas seja por orgulho , seja por fraqueza sua propria inteligencia o faz joguete da ilusao .
    Ele amontoa sistemas sobre sistemas e cada dia que passa lhe mostra quantos erros tomou por verdade e quantas verdades rejeitou como erros .
    Habituados , como estamos , a julgar as coisas pela nossa pobre morada que e a terra a razao nos diz que o universo nao pode ser ter feito a si mesmo e que , nao podendo ser obra do acaso , deve ser obra de Deus , porque Deus e a inteligencia suprema , causa primeira de todas as coisas .
    Abraços .

    Responder

    • Avatar
      15 outubro, 2013

      Caro Paulinho,

      Antes, quero agradecer sua assiduidade quanto à nossa coluna. O inicio do universo não é assunto pacífico entre religião e ciência. Esse tema, aliás, me desperta o interesse pela pesquisa, para que eu possa melhorar os meus conceitos. A verdade, de maneira inquestionável, ainda não a temos.
      No mais, respeito o seu posicionamento fundado na crença divina, no que diz respeito à origem.

      Abraços.

      Ricardo Borges

      Responder

    • Avatar

      Nosso Universo na realidade não é um universo infinito é finito, pois estamos num corpo maior, esse sistema que chamamos de universo faz parte de um conjunto de sistemas interligados e complexos, como na química estão devidamente balanceados num corpo que tem vida própria e estamos em gestação, essa criança vai nascer, mas temos que esperar, o Universo tem que esperar pois sua gestação é de 111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..0
      Nasce a criança.

      Responder

  2. Avatar
    22 outubro, 2013

    Você esqueceu de analisar o Sistemático. Aquele que não crê pelo simples não crer.
    Talvez o dileto escritor em suas pesquisas no Google e viagens alcóolicas tem-se enroscado nas barras das calças e mantido o globo ocular ao alcance de um único espelho e lendo sua obra de característica puramente pessoais, se enquadre no Sistemático.
    Por exemplo, a lógica irrefutável da presença, existência de Deus depende do ponto de vista de cada um, e esse cada um, possui experiências pessoais, anseios individuais. Não se quer julgar o nome que se dê aos que alguns chamam de Deus.
    O grande problema do homem é querer ser o centro das “coisas”, ser o centro do universo. Pior ainda é o homem que quer ser o centro das atenções. Se sentir O TODO PODEROSO não é ? Se ele não é o centro do universo ou DAS ATENÇÕES, ele se perde, se sente inseguro, vitimado e se avilta contra a natureza e clama, pergunta: cadê esse Deus ?
    Ver crimes acontecendo, uma série de assassinatos, crianças sendo mortas, famílias destruídas, e uma série de outros fatos acontecendo no dia-a-dia, realmente dando-lhes o devido valor e atenção e não querendo enxergar além disso, nos torna céticos, negativos, MATERIALISTAS, imediatistas, egoístas.
    Mas, o que poderá haver além disso ?
    O homem acha que é o centro do Universo e, não querendo imaginar que há um ser Superior a ele, o que ele faz ? Ou o nega, ou o faz à sua imagem e semelhança. As religiões são criações humanas. A bíblia é escrito por humanos. É um compêndio.
    Partindo-se do pressuposto que Deus exista, que ele seja o ser que a tudo originou, que a tudo préexista, que exista muito antes da humanidade rastejar sua calda por essa pequenina e mesquinha célula do universo que é a Terra, portanto, o conceito de eternidade seria seu atributo.
    Supondo que ele esteja em todas as partes como o ar, que não se vê, mas, sabe-se estar ai.
    Supondo que ele é bom, mas, JUSTO acima de tudo.
    Ele pouco se importa com seu julgamento da existência dele. Pouco se quer saber se você acredita nele. E mais, palavras assim, bem caracterizam a psiquê de profunda de carência sócio-afetiva. Uma carência profunda de alguém que socialmente NECESSITA de se auto afirmar, necessita ser visto, notado.
    Não se espera que você crêia. Mas, que você reflita ainda mais, e, procure ir além da limitada ciência humana. Lembre-se, assim como os filósofos que o Sr. citou, os livros, etc., os cientistas também são humanos.
    O Sr. citou o Bóson de Higgs, acaso deu-se ao trabalho de estudar física ? As leis e cada uma das fórmulas que a compõe ?
    Acaso se perguntou o que há antes disso ? O que criou o Bóson de Higgs ?
    Cuidado, a vaidade nos cega, o dinheiro ainda mais perigoso, pois talvez este último, no que se percebe e se observa, seja seu Deus. Talvez para o Sr. tenha Deus, Jeová, Bóson de Higgs, Shiva, Jesus, Ômega, o Todo Poderoso, mudado de nome, e passou a ser um monte de notas.
    Reflita, respire profundamente. Tenha paciência, não emita opiniões precipitadas sobre minhas palavras.
    Seja racional, impessoal, seja crítico, estude ainda mais a ciência e, tente fazê-la conviver com a religião e a filosofia.
    Reflita sobre essas questões?
    - Se aqui estamos, qual seria o fundamento ?
    - Se você se formou em Direito, estuda tanto, para que serve isso ? Mero capricho pessoal ?
    - Se há sofrimento, o que eu faço para ajudar (com o mínimo que seja) para aliviar os dos outros ?
    - Posso usar minha profissão para um fim social a não ser o de acumular bens ?
    - Qual o fundamento de ser bom ?
    - Sou imortal ? Ou tudo que leio, estudo, morre comigo ?
    - Há algo além ? A ciência já provou isso ?
    - Poderia a Ciência, a Filosofia e a Religião andarem juntas ? Se sim, como se daria isso ? E porque uma não completaria a outra ?

    Porque ser bom ? Porque tratar a esposa e filhos bem ? Isso é amor ? O que é o amor ? Satisfação da vaidade em, ao mostrar à sociedade que estão bem, você ama intensamente ?

    O sofrimento existe, mas, há um fundamento ? Onde ele estaria fundamentado ?

    Finalizando, lembre-se você não é o único, nem o melhor, nem o pior, nem o centro, você é derivado de algo, não apenas cromossomos ? O Sr. sente, embora negue sistematicamente, e sabe, há algo muito além, muito além da vã filosofia.

    Responder

    • Avatar
      31 outubro, 2013

      Muito curioso seu texto Dr. Ricardo, e realmente nos faz parar e refletir, como será que surgiu o universo. Creio ma criação divina, mas também respeito e admiro muito a capacidade de evolução da ciência.
      Mas, o curioso de tudo, é que ninguém sabe, e se um dia descobrirem, não estaremos aqui para saber.
      Agora, é lamentável o comentário do colega Jeca Tatu, ou ele não sabe ler e interpretar um texto, ou quis realmente ofender o autor, pois seu comentário não tem nada haver com o texto escrito.
      Admiro profundamente seu trabalho Dr. Ricardo, sua competência e conhecimento. E se caso não acredite mesmo em um ser superior isso me faz admirar ainda mais suas atitudes. Porque, normalmente as pessoas praticam o bem e a caridade para receber algo em troca, se não for da pessoa ajudada, acredita que Deus esta vendo suas boas ações e o recompensará.
      Muitos gostam de ajudar as pessoas lá fora, mas esquece de começar ajudando quem esta mais próximo, ou seja, a própria família. Gostam de posar para a sociedade como pessoas exemplo, sendo que na verdade somente o individuo sabe das barbaridades que já cometeu (ou que ainda comete), e do peso que sua consciência carrega.
      Se você não acredita em Deus, admiro ainda mais seu comportamento, pois vejo o quanto ajuda as pessoas que desta necessita, isso mostra que você ajuda o próximo, pelo simples fato de ajudar e não espera nada em troca, nem do outro e nem de Deus.
      Mais um vez parabéns pelo seu trabalho.

      Responder

  3. Avatar
    25 outubro, 2013

    Caro Jeca Tatu,

    Simplesmente expus as duas correntes dominantes: fundamentalismo e humanismo. O senhor se equivocou ao se referir que o texto reflete a minha opinião. Mesmo que eu a tivesse emitido, estaria protegido pela liberdade de expressão prevista na Constituição Federal. Equivocou-se novamente, ao defender a tese da existência de Deus. O texto aborda a origem do universo e não a existência de Deus. No mais, apesar de ser um ignorante quanto às leis da física, penso que para escrever uma coluna, não preciso entendê-las, a comunidade mundial científica já fez esse papel. Por último, Sr. Jeca Tatu, este espaço é democrático e aceita opiniões contrárias. Entretanto, ficaria mais elegante e inteligente, se sua crítica tivesse sido elaborada sem ataques pessoais e não sob esse fanatismo que o senhor demonstrou. Abraços e boa sorte.

    Responder

Deixe seu comentário