Open top menu
Porto Alegre: Pedido de Prefeito tucano banaliza uso das FFAA, avalia Exército

Porto Alegre: Pedido de Prefeito tucano banaliza uso das FFAA, avalia Exército

A cúpula das Forças Armadas teme a “politização” dos pedidos de socorro para reforçar a segurança pública nos Estados nas eleições de 2018. Um exemplo é o pedido feito na semana pelo prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), de apoio durante o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 24 – uma “banalização” do uso das tropas.

Movimentos sociais prometem realizar atos em defesa do ex-presidente e há também articulação de manifestações contra Lula. Marchezan alegou que há uma “invasão” em Porto Alegre.

De acordo com generais ouvidos pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, há o perigo e o risco de estes pedidos se multiplicarem, como uma espécie de salvo-conduto dos governadores. Para os militares, só deve haver uso de tropas em caso de descontrole da ordem. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, já afirmou que é contra o emprego do Exército em Porto Alegre.

Semana passada, o comandante do Exército, general Eduardo Villas Boas, expressou preocupação, em seu Twitter, com o emprego da corporação em “intervenções” por meio da Garantia da Lei e da Ordem (GLO) nos Estados, como está sendo feito agora no Rio Grande do Norte.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.